terça-feira, janeiro 23

Edu Falaschi: ‘É praticamente um milagre ter a qualidade de vida e condições financeiras que tenho fazendo metal, em inglês, no Brasil’, afirma o vocalista.

0
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Foto: divulgação

Icônico nome do metal nacional, Edu Falaschi viajou o mundo com seu talento. Venceu na vida por conta desse talento. Menino simples e sonhador, começou a trilhar sua carreira musical no Mitrium e no Symbols. Ora polêmico, ora divertido, o fato é que o vocalista é, há muito tempo, muito mais que apenas um ex-membro do Angra.

Mesmo ainda idolatrado pelos fãs de sua antiga banda, ele trilha uma carreira do sucesso ao lado daquele projeto que, a princípio, parecia apenas algo paralelo: o Almah, cuja discografia carrega cinco discos, sendo ‘E.V.O’ o mais recente, lançado há poucos meses. Hoje, ele divide sua agenda entre o grupo e projetos diversos, como a mais recente turnê ‘Rebirth of Shadows’. Vamos ver o que ele tem a dizer sobre tudo isso. O Edu é gente boa!

Por Matheus Vieira

Portal Black Dog –   Edu, ‘Rebirth Of Shadows’ é um sucesso. O que não é novidade, afinal os fãs do Angra te adoram. Essa turnê tem influência deles, não tem?

Edu Falaschi: Sim e muita, eu criei a tour justamente por essa ligação carinhosa que temos em comum, sempre estou perto da galera e sei o que eles realmente querem e esperam de mim.

Portal Black Dog – As datas tiveram ingressos esgotados em alguns lugares. Existem planos para uma sequência?

Edu: Sim, a turnê voltará em Dezembro de 2017 e Janeiro de 2018.

Portal Black Dog –   Toda a situação que envolveu a troca de nome abalou sua relação com o Angra e o Rafael Bittencourt, de maneira geral?

Edu: Hoje isso pra mim já é passado! A música é o que importa! Quero paz!

Portal Black Dog –   Diferentemente do que acontece com outras bandas, os fãs idolatram tanto André matos, quando Edu Falaschi, respeitando as fases distintas. Mas sempre esse ou aquele outro chato, que insiste em ficar preso ao passado. O que você pensa disso?

Edu: Não acho nada! Cada um é livre para pensar o que quiser! Hoje apenas me divirto fazendo o que eu amo. Prefiro me concentrar na música.

Divulgação do novo disco do Almah, ‘E.V.O’. Foto: divulgação

Portal Black Dog –   O Almah também está a todo vapor, certo?

Edu: Está seguindo seu caminho, fizemos um disco lindo, o ‘E.V.O’.

Portal Black Dog –   A ótima notícia dentro de tudo isso é que você está de volta e com força total. Recuperou-se totalmente de seu problema de refluxo? Você chegou a pensar em desistir? Passou por alguma situação extrema?

Edu: Sim, graças a Deus! Hoje estou bem! Vivi anos num inferno, sem saber o que eu tinha, lutando contra um fantasma, pressão de todos os lados! Pensei sim em parar, muitas vezes, mas com a ajuda da minha família e amor puro pela música, tive forças para continuar.

Portal Black Dog –   Você é um guerreiro, simples e com uma infância de muita luta. Viver de heavy metal é um prêmio para tudo isso, concorda?

Edu: Obrigado pelas palavras, mas você esta certo. É praticamente um milagre ter a qualidade de vida e condições financeiras que tenho fazendo metal, em inglês, no Brasil. Por isso sou muito grato por tudo o que tenho e ainda fazer o que amo.

Portal Black Dog –   Aliás, até onde, hoje, o metal brasileiro chega em representatividade lá fora ? A ida do Kiko para o Megadeth foi um marco, acredito.

Edu: Sim. Foi e sempre será bacana.

Portal Black Dog –   E para os próximos anos, o que está em seus planos?

Edu: Fazer shows! Menos que antes, mas em determinados períodos! Por blocos! Ficar mais com a família e curtir a vida!

Portal Black Dog –   Obrigado, Edu. E parabéns pelos anos de trabalho.

Edu: Obrigado pela oportunidade.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Compartilhe

Sobre o Autor

Pai do lindo Nicholas, Vieira é jornalista (com diploma - MTB 67923/SP) e acumula anos de experiência em redações de jornais e revistas. Colecionador de CD´s de rock e metal, também é apaixonado por cinema e arte de maneira geral. Foi diretor do extinto Portal Novo Metal e colaborador dos sites Whiplash e Portal do Inferno. Escreveu matérias para a Roadie Crew e Valhalla. Na rádio Uniara FM 100.1, foi um dos fundadores do programa Black Dog, há 5 anos. Agora, as ondas do rádio ganharam novos contornos. E foram para a internet. Ao seu lado, o amigo Carlos Oliveira.

Comments are closed.